4 de jul de 2009

Blogar é como se vestir para uma festa (ou Como Fazer um Blog)


Imagens: Getty Images

Escrever um blog é como se vestir para uma festa. Portanto, capriche. Da mesma forma que faz o cabelo, ajusta o vestido, pinta as unhas, passa maquiagem, compra novos sapatos (nós, homens, apenas vestimos o terno, os sapatos e fazemos a barba), revise, cheque as informações, a gramática, a ortografia e, acima de tudo, seja interessante.

Há milhares de sites e blogs na internet dando dicas sobre a arte de blogar. Uno-me a esse universo e deixo aqui as minhas primeiras impressões após 'Passa Boi, Passa Boiada' ter completado ontem seus primeiros 100 dias de vida.

Em vez de seguir a tradicional receita do "10 dicas de como fazer um blog" (para isso, a internet está abastada de textos mais objetivos e didáticos), listarei em seguida não só as minhas dicas, mas também as minhas primeiras impressões e os aprendizados ao blogar.

Prontos? Então vamos lá:

Ser específico X ser generalista
Ao escolher um tema específico para seu blog (por exemplo, culinária, fotografia, música, marketing, modelismo), suas chances de emplacar são maiores (a depender, é claro, da sua competência e da sua capacidade de ser interessante). Por outro lado, nós não somos só especialistas nesse mundo. Escrever um blog pode ser a sua válvula de escape. O seu diário público. Uma maneira de você reagir ao que acontece no nosso mundo, interior e exterior. Uma frase de José Saramago sintetiza bem tudo isso: "Os sismógrafos não escolhem os terremotos, reagem aos que vão ocorrendo, e o blog é isso, um sismógrafo." Ser generalista ao blogar, no entanto, aumenta ainda mais sua responsabilidade: o dever de ser interessante.

Seus parentes não leem seu blog
Todos nós somos eternas crianças e buscamos aprovação de todas as nossas manifestações. Logo, é natural que queiramos a aprovação (não no sentido de 'ah! que lindo seu blog!', mas na crítica construtiva, na audiência, no olhar) dos nossos parentes. A começar pelos nossos pais, em seguida irmãos, tios, primos etc. Sim, sei que há aí uma certa asa carente, mas esses somos nós: eternos buscadores por aprovação. Mas, sinceramente, com exceção da sua mãe (espero), não espere muitas visitas de seus parentes em seu blog. E viva com isso!

Seus amigos (quase) não leem seu blog
Idem ao item acima, com a exceção de que, como os seus (verdadeiros) amigos não têm a obrigação de ler seu blog (por quê? Os parentes por acaso têm?), é natural que vez por outra eles entrarão e, raramente, postarão um comentário. A parte engraçada é que, com certeza, seus inimigos lerão seu blog. É como aquela célebre frase de Oscar Wilde: "Sempre perdoe seu inimigos, nada lhes incomoda tanto".

Os anônimos é que leem seu blog
Quem realmente lê seu blog é aquele internauta anônimo (pode até ser uma celebridade). Ele encontra seu blog, e não o contrário. Darei dicas mais à frente sobre como divulgar seu blog.

Dê feedback e passe longe da censura
Mais importante do que ter gente lendo seu blog é interagir com quem entra lá e deixa comentários. Por isso, procure responder a todos os comentaristas, nem que for para apenas agradecer. E, é claro, não censure, delete ou repreenda um comentário. O máximo que você pode (e deve) fazer é apagar algo que seja de alguma forma ofensivo, ilegal ou simplesmente spam.

Tamanho faz diferença
Só que nesse caso, quanto menor, melhor. Sempre que possível, procure escrever textos razoavelmente curtos (o que não é o caso deste aqui). Isso reterá mais atenção de seus leitores. Mas se você já chegou até este ponto, é porque está gostando do texto. :-)

Ilustre
Lance mão de imagens para ilustrar seus textos. Isso faz com que seus leitores façam mais associações, sinapses, reflexões. E isso os cativará. O Google Images e o Getty Images estão repletos de imagens. Procure apenas citar a fonte, é claro.

Seja assíduo
Escreva pelo menos uma frase por semana no seu blog. É importante manter o ar de novidade. Outra dica também é vez por outra alterar a imagem (se tiver uma) que encabeça sua página.

Cuide do nosso vernáculo
Parece até redundante essa dica, mas você pode se espantar com tanta incompetência gramatical, ortográfica e de estilo que assombra alguns blogs. Por isso, revise aquele velho livro de português e cuide do seu texto. O português tem de ser impecável. Não há outra escolha.

Aponte links
Vai citar Einstein ou Modigliani em seu texto? Inclua um link para essas referências. Além de ser conveniente ao seu leitor, fará com que seu blog apareça muito mais em resultados de pesquisa no Google. Uma dica é apontar o link da sua referência no Wikipedia.

Ouça o que está dentro de você
Preste atenção aos insights que tem ao longo do dia (e da noite). Geralmente, eles te levam aos seus melhores textos. Se puder, ao ter um deles, levante-se e escreva na hora.

Aprenda com o outro
Leia, comente, aprecie outros blogs. Além de ser um ótimo aprendizado sobre como blogar (afinal, a comparação com o outro é que nos faz ter noção do tamanho da nossa aberração ou beleza), ler outros blogs faz com que você se sinta parte do todo, da pulsação cibernética, do mundo que acontece ao nosso redor.

Sinta o blogar


Nesses 100 dias blogando, são essas as minhas sensações ao escrever para o mundo:
  • Responsabilidade: vigiar o que manifesto;
  • Participar do mundo: sentir-me vivo e incluído;
  • Produtividade: manter a cuca funcionando e produzindo;
  • Propriedade: o blog é meu, obra minha, dá orgulho!;
  • Ser formador de opinião: saber que influenciei (bem ou mal) quem lê meus textos;
  • Ser jornalista e reportar ao mundo: estar atento aos fatos e dividir.
Divulgue seu blog

No meio de quase 10 bilhões de páginas na internet, ninguém vai saber do seu blog a não ser que você o divulgue. Há várias formas de divulgá-lo. Vou citar as quem vêm dando certo no meu caso. Mas cada caso é um caso. Veja abaixo algumas sugestões:

AddThis: inclua um link para seus leitores compartilharem os textos que você escreve. Pode não trazer visitantes imediatamente, mas faz um bom trabalho para se ter "share-of-mind".

Use e abuse das redes sociais: Facebook, Twitter, Orkut, MySpace, LinkedIn, Plaxo, Flickr, SlideShare e por aí vai (clique nos links para visitar meus perfis).

Só para se ter uma ideia, o LinkedIn traz 85% dos visitantes de Passa Boi, Passa Boiada. Quase todas as minhas postagens divulgo no LinkedIn. Isso fez com que gente de mais de 50 países tenha visitado o blog.

Conheça seu leitor
Tenha instalado um contador de acessos. O que eu uso é o Stat Counter, gratuito e dá vários detalhes sobre quem, quando, como e de onde suas visitas são oriundas. Ao estudar os relatórios de visitas em seu blog, você terá mais noção sobre quais posts tiveram mais interesse, quais quase não receberam visitas, a frequência com que as pessoas voltam ao seu blog, quanto tempo elas ficam na sua página etc.

Espero ter ajudado. Se você tem mais dicas, divida aqui deixando seu comentário.
blog comments powered by Disqus