31 de mar de 2009

"Fórmula 1, segundo Rubinho"


Sensacional a tirada do José Simão (leia a coluna completa clicando aqui).

Críticas à parte, há de se concordar com uma coisa: o que tem mandado na Fórmula 1 é mesmo o carro, e não o piloto.

Fosse o contrário, Rubens Barrichello não teria tido a (quase) bela performance na Austrália no último domingo.

Ficou provado que o nível de talento dos pilotos da elite do automobilismo mundial é muito similar. Naturalmente, há as exceções, tanto para o lado da perfeição quanto para o da mediocridade.

O fato é que Rubinho está na metade superior dessa divisão. O piloto brasileiro, quase compulsoriamente aposentado quando da retirada da Honda no final do ano passado, se mostrou capaz e demonstrou que, com um carro competitivo, pode fazer a diferença.

Nos resta agora torcer. Afinal, a sede de conquista de um título mundial na F1 continua grande.

1 comentários:

Ishikawa disse...

Grande Rodrigão (lembra o que diria o Dani ao ouvir isso...) belo texto. A Rubens, faltou um trato melhor com as palavras. Como o peixe, (quase) morreu pela boca. E este ano tem a chance de mandar um 'chupa' para todo mundo.

Postar um comentário